Resumo: Neste comovente livro de memórias, Eduardo F. Calcines relembra sua infância em Glorytown, um bairro da cidade de Cienfuegos, e relata os motivos que o levaram a deixar sua família e seu país em busca de um futuro melhor nos Estados Unidos.

Eduardo F. Calcines tinha apenas três anos de idade quando Fidel Castro chegou ao poder de Cuba, em janeiro de 1959. Depois deste fato, tudo mudou na sua família, no seu país, e nos anos que seguiram. Era difícil para Eduardo entender porque havia soldados em todas as esquinas, a comida era racionalizada e os adultos não podiam se reunir nem mesmo no Natal ou em outras festas familiares. Conforme Eduardo foi crescendo, a realidade do comunismo se tornou clara e carregada de sofrimento.

Quando sua família se inscreveu para receber o visto de imigração para os Estados Unidos, Eduardo, então com dez anos, foi hostilizado pelos seus colegas de escola e professores como sendo um traidor da pátria, e pior, seu pai foi enviado a um campo de trabalhos forçados, onde era obrigado a trabalhar até 15 horas por dia, como forma de punição, pelo simples fato de querer sair em definitivo de Cuba. Durante os anos seguintes, Eduardo tinha apenas um desejo: que os vistos de saída do país fossem concedidos antes que ele completasse 15 anos, a idade limite para o serviço militar.

232 páginas
Autor: Eduardo F. Calcines
ISBN: 978858066018-1

O Adeus a Glorytown
R$37,00 R$18,50
Quantidade
O Adeus a Glorytown R$18,50

Conheça nossas opções de frete

Resumo: Neste comovente livro de memórias, Eduardo F. Calcines relembra sua infância em Glorytown, um bairro da cidade de Cienfuegos, e relata os motivos que o levaram a deixar sua família e seu país em busca de um futuro melhor nos Estados Unidos.

Eduardo F. Calcines tinha apenas três anos de idade quando Fidel Castro chegou ao poder de Cuba, em janeiro de 1959. Depois deste fato, tudo mudou na sua família, no seu país, e nos anos que seguiram. Era difícil para Eduardo entender porque havia soldados em todas as esquinas, a comida era racionalizada e os adultos não podiam se reunir nem mesmo no Natal ou em outras festas familiares. Conforme Eduardo foi crescendo, a realidade do comunismo se tornou clara e carregada de sofrimento.

Quando sua família se inscreveu para receber o visto de imigração para os Estados Unidos, Eduardo, então com dez anos, foi hostilizado pelos seus colegas de escola e professores como sendo um traidor da pátria, e pior, seu pai foi enviado a um campo de trabalhos forçados, onde era obrigado a trabalhar até 15 horas por dia, como forma de punição, pelo simples fato de querer sair em definitivo de Cuba. Durante os anos seguintes, Eduardo tinha apenas um desejo: que os vistos de saída do país fossem concedidos antes que ele completasse 15 anos, a idade limite para o serviço militar.

232 páginas
Autor: Eduardo F. Calcines
ISBN: 978858066018-1